Planejamento financeiro para autônomos: Como criar o seu?

O planejamento financeiro para autônomos é extremamente necessário, principalmente para quem está começando a trabalhar por conta própria pela primeira vez.

Embora empreender tenha seu lado bom, como passar mais tempo com a família ou  fazer algo que ama, nem sempre é uma tarefa fácil. 

Além da dedicação que precisa ser dobrada, muitas vezes o dinheiro que entra não é suficiente para suprir as despesas.

Apesar disso, as adversidades podem ser contornadas com uma boa organização e acompanhamento das finanças.

Portanto, se você é um profissional autônomo e deseja fazer seu planejamento financeiro continue lendo este artigo que o Grupo Capital preparou para você.

 

Por que o planejamento financeiro para autônomos é tão importante?

Um dos grandes desafios da vida do empreendedor está relacionado às finanças. 

Sem dinheiro, ele não consegue pagar as contas básicas para o seu negócio funcionar, nem mesmo ter um salário para manter suas despesas pessoais. 

As dívidas então passam a ser inevitáveis, e ele pode trabalhar o quanto for e mesmo assim não ver os resultados do seu esforço.

Por outro lado, com o planejamento financeiro para autônomos quem trabalha por conta própria inicia seu empreendimento da maneira correta, sem dever ou contrair dívidas.

 

7 dicas para começar o planejamento financeiro para autônomos de forma correta

A organização e o acompanhamento das despesas e do lucro são essenciais, mas não é só isso. Veja a seguir sete dicas para planejar as finanças do seu negócio.

1. Separe o seu orçamento pessoal do empresarial

Geralmente quem trabalha por conta própria acaba cometendo o erro de misturar as despesas do negócio com as pessoais. 

O que pode se transformar em uma verdadeira bola de neve e provocar dívidas.

Qualquer empreendimento, independente do seu tipo, demanda do planejamento com custos obrigatórios, como:

  • Energia;
  • Compra de materiais de consumo;
  • Taxa de manutenção da maquininha de cartão;
  • Aluguel de espaço;
  • Entre outros. 

Portanto, o primeiro passo para começar um planejamento financeiro para autônomos é separar os dois tipos de orçamento.

Essa atitude facilita não só o controle das despesas, mas também a saber o valor que entra no seu negócio, o que pode ser usado como fluxo de caixa e até investir na expansão.

2. Tenha uma conta física e outra para o seu serviço

Assim como as empresas, quem é MEI também consegue solicitar a abertura de conta jurídica, que constitui em uma boa maneira de organizar as finanças.

Geralmente elas são gratuitas e possuem taxas de juros mais atrativas caso o empreendedor necessite de um empréstimo para expandir seus negócios.

Nesse sentido, fica mais fácil usar o dinheiro do próprio trabalho para pagar as contas ou comprar mercadoria. 

Do mesmo modo, a pessoa deixa de usar sua poupança para socorrer a empresa no fim do mês ou como fluxo de caixa.

3. Tenha uma reserva de emergência

Ter um dinheiro para momentos de emergência é um dos pontos fundamentais do planejamento financeiro para autônomos. 

Afinal, os ganhos de quem trabalha por conta própria normalmente são variáveis. 

Os especialistas indicam ter uma reserva de no mínimo seis meses para cobrir os gastos e garantir a operação sem precisar mexer no lucro da empresa, principalmente no começo.

Mas se você já tem um negócio em atividade e quer acumular uma quantia para lidar com os imprevistos, pode começar definindo um valor x para poupar mensalmente. 

Neste caso, analisar todos os gastos e as principais fontes de renda do seu empreendimento pode ajudar a economizar ainda mais.

Do mesmo modo, tenha também uma reserva pessoal. A quantia pode te ajudar a conquistar objetivos, como comprar carro ou casa, ou pagar uma emergência médica.

4. Prepare-se para o futuro

É essencial que o planejamento financeiro para autônomos foque em metas de longo prazo, afinal, quem tem seu próprio negócio visa sempre crescer e atrair mais clientes.

Mas para isso, é importante fazer investimentos que garantam bons resultados e tenham juros baixos para não interferir nos lucros da empresa.

Nesse sentido, uma boa alternativa é fazer um consórcio de forma estratégica. Com ele é possível poupar, mesmo sem ter disciplina, e ainda conquistar objetivos materiais de alto valor. 

Além disso, o valor da carta de crédito pode ser resgatado quando o consorciado já cumpriu com todas as  suas obrigações e todos os participantes já foram contemplados.

5. Aprenda a investir

O planejamento financeiro para autônomos feito da forma certa vai permitir que a pessoa economize e, portanto, tenha um dinheiro extra para investir no crescimento do seu negócio.

Contudo, é importante analisar as características de cada produto e entender o cenário econômico.

Embora os produtos de investimentos de liquidez diária (como a poupança) e/ou de renda fixa sejam os mais indicados para quem está começando, eles não são os únicos.

Por isso, antes de decidir a modalidade, dedique um tempo para estudar e aprender sobre esse assunto.

6. Estipule um salário para você

Alguns empreendedores trabalham muito e não tem um retorno financeiro equivalente ao tempo e a dedicação ao negócio. 

Isso acontece porque a maioria não estabelece seu pró-labore, ou seja, seu próprio salário.

Ter esse valor definido vai ajudar a pessoa não só a organizar as finanças, mas também se manter motivada e bem mais produtiva. 

No começo de um negócio é comum usar todo o lucro para pagar as contas, comprar mais mercadorias. 

Entretanto, depois de um tempo, se dedicar muito e não ter um salário pode fazer com que o empreendedor acabe desistindo.

7. Programe suas férias e aposentadoria dentro do planejamento financeiro para autônomos

Diferente das pessoas que trabalham de carteira assinada, os profissionais liberais não podem contar com o FGTS, dias de descanso remunerado ou aposentadoria do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). 

Com o passar dos anos, nem sempre é possível manter o mesmo ritmo de trabalho. Além disso, depois de certa idade o mais indicado é descansar, aproveitar a vida e cuidar da saúde.

Por isso é importante separar uma quantia mensal para fazer investimentos que possibilitem não só tirar férias, mas também manter o padrão de vida sem passar por dificuldades financeiras.

 

Quando começar a montar o planejamento financeiro para autônomos?

O recomendado é começar a planejar todos os aspectos financeiros do negócio antes mesmo de se registrar. 

O empreendedor inicia seu empreendimento da forma certa e não corre o risco de ficar sem dinheiro para manter suas atividades.

Além disso, ele consegue se organizar a ponto de não precisar mexer nas suas contas pessoais ou se socorrer com empréstimos nos primeiros meses da sua empresa.

Agora, se você deseja investir o lucro de seu trabalho pensando a longo prazo, converse com o Grupo Capital e saiba qual a modalidade de consórcio mais indicada para você.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *